Neste sábado, 27, uma equipe do MSF chegou em Cruzeiro do Sul para fazer uma avaliação, nomeada missão explorativa

O Procurador Geral da Prefeitura, Dr. Raphael Sanson, solicitou a ajuda da organização humanitária Médicos Sem Fronteiras (MSF) para Cruzeiro do Sul, diante da crise que afeta o município com o número crescente de casos de covid-19 e o registro da maior enchente da história do Rio Juruá, que já atingiu mais de 33 mil pessoas. Cruzeiro do Sul enfrenta uma das maiores crises da saúde: a falta de médicos para suprir a grande demanda, devido a carência de profissionais especializados na região.

Neste sábado, 27, uma equipe do MSF chegou em Cruzeiro do Sul para fazer uma avaliação, nomeada missão explorativa, onde avaliam todas as necessidades do local na área da saúde, para posteriormente decidirem sobre a disponibilidade dos serviços médicos na região. A equipe esteve em Rio Branco na sexta-feira, 26, e retornam para Manaus no domingo, 28. O Procurador do município Dr Raphael Sanson fez contato com a organização MSF no dia 20 de fevereiro.

“Eles normalmente ajudam com o envio de médicos especialistas. Hoje Cruzeiro do Sul tem a falta de médicos intensivistas, até temos espaço e equipamentos para abrir mais leitos covid, mas pela falta de médicos para atuar ainda não foi aberta, e eles poderiam nos ajudar nesse sentido, mas temos que esperar uma análise ainda. Nos próximos dias a equipe entra em contato para dar uma resposta sobre o parecer deles”, enfatizou.

Médicos Sem Fronteiras (MSF) é uma organização humanitária internacional que leva cuidados de saúde a pessoas afetadas por graves crises humanitárias. O coordenador do Médico Sem Fronteiras na região da Amazônia Fábio Biolchini Duarte e o coordenador médico Mohammed Ali se reuniram com o Secretário Municipal de Saúde Dr. Agnaldo Lima e com a assessora executiva da coordenação regional de saúde Diani Carvalho para realizar o diagnóstico situacional de Cruzeiro do Sul, e em seguida visitaram o Posto Mão Amiga (unidade criada pelo município referência para casos de problemas respiratórios) e o Hospital de Campanha Covid.

O Secretário Municipal de Saúde Dr Agnaldo Lima enfatizou a necessidade da ajuda dos profissionais médicos em Cruzeiro do Sul diante do aumento dos casos de covid somado ao quadro de enchente que a cidade vive e afeta milhares de famílias, o que faz o número de pessoas necessitando de assistência médica aumentar.

“A atenção básica tem um déficit de 11 profissionais médicos, o que faz os demais terem que se desdobrar para manter a assistência médica, mesmo com todas as dificuldades. Nós estamos muito preocupados, por isso estamos buscando ajuda, tanto do Médico Sem Fronteiras, como dos profissionais de saúde da Cruz Vermelha, pois é um momento crucial. Hoje recebo a equipe com bastante alegria, para eles avaliarem nossa situação”, enfatizou o secretário.

Como a organização MSF atua de forma independente, neutra e imparcial, eles determinam de acordo com sua própria avaliação, onde, quando e como atuar. Após a missão exploratória, a equipe retorna para Manaus onde confecciona um relatório, apresentando a situação do município para os demais membros da equipe, avaliando a disponibilidade de recursos para só então anunciar se agem ou não com a colaboração diante da avaliação inicial.

“Uma vez que seja aprovada pela equipe deles a nossa necessidade de médicos, poderemos receber a ajuda desses profissionais em um momento tão crítico”, complementou o secretário.

A assessora executiva da coordenação regional de saúde Diani Carvalho salientou a importância do trabalho da organização MSF em todo o mundo, destacando a necessidade da ação em Cruzeiro do Sul.

“Diante do cenário que todo mundo enfrenta relacionado ao covid, e principalmente nosso município com as enchentes, qualquer ajuda é extremamente importante. Eles tiveram conhecimento sobre a situação do nosso estado, e da nossa cidade, vieram avaliar, para então poder ou não atuar dentro das possibilidades da ONG, de acordo com os princípios estabelecidos pela MSF”, pontuou.

Médicos Sem Fronteiras

A atuação de Médicos Sem Fronteiras é, acima de tudo, médica. A organização leva assistência e cuidados preventivos a quem necessita, independentemente do país onde se encontram. Médicos Sem Fronteiras oferece cuidados de saúde a pessoas em necessidade de ajuda humanitária. Os principais contextos nos quais a organização atua são conflitos armados, epidemias, catástrofes naturais e situações que envolvem refugiados e deslocados internos. Além de oferecer cuidados de saúde em situações de extrema urgência, as equipes também estão presentes onde as populações sofrem com a falta de acesso à assistência médica.

Um projeto pode ser desencadeado pela existência de uma situação de crise que requer uma resposta humanitária emergencial, pelo pedido de organizações internacionais, de governos ou mesmo de outras organizações não governamentais ou ainda pela identificação de uma demanda de saúde específica, com a qual a organização considera que possa contribuir de forma relevante.

Fonte: Assessoria de Comunicação

Data de publicação: 27/02/2021

Créditos: Assessoria de Comunicação

Créditos das Fotos: Assessoria de Comunicação

Compartilhe!