O evento, puxado pela deputada federal Perpétua Almeida, contou com a presença do prefeito Ilderlei Cordeiro.

Promovida na Câmara de Vereadores de Cruzeiro do Sul, a audiência pública que reuniu autoridades públicas e privadas do setor de telecomunicações, aconteceu no final da tarde desta quinta-feira, 31, e teve como objetivo debater as frequentes panes do sistema de telefonia móvel e internet na Região do Vale Juruá.

O evento, puxado pela deputada federal Perpétua Almeida, contou com a presença do prefeito Ilderlei Cordeiro, que aproveitou a ocasião para encaminhar ao Legislativo um Projeto de Lei que trata da regulamentação da instalação de infraestrutura de suporte para equipamentos de telecomunicações, autorizadas e homologadas pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), além do respectivo licenciamento.

O novo projeto traz menos entraves para instalação dos equipamentos, desobstruindo empasses e dando as empresas a possibilidade de instalação de novas antenas e estruturas, oferecendo assim, uma qualidade melhor no serviço móvel.

“Esse é um tempo importante para o desenvolvimento da nossa região, tendo em vista que temos sofrido com as quedas do sistema, que param toda os serviços da cidade, sejam eles públicos ou privados. O que estiver no alcance do Município, faremos para desburocratizar os investimentos em telecomunicações em Cruzeiro do Sul”, endossou Ilderlei Cordeiro.

Perpétua Almeida endossou a importância do tema. “O assunto é urgente, a população que depende dos serviços de internet e telefonia, seja para estudar ou para serviços bancários, receber chamadas de táxi ou mototaxi ou qualquer outro fim, tem direito de desfrutar do serviço que paga e não pode ficar à mercê de um serviço falho”, salientou.

Rio Branco também sofria com frequentes panes no serviço de internet e telefonia. Mas, graças a luta da Bancada Federal, já conta com dois cabos de telefonia entre Porto Velho e o Acre. Para a deputada federal, essa pode ser uma das soluções para o Juruá: a instalação de uma segunda linha de telecomunicação entre Cruzeiro do Sul e a capital.

De acordo com o taxista Adriano Santos, a deficiência do serviço prejudica a categoria. “Nós que precisamos do celular para receber a chamada, somos muito prejudicados. Tivemos colegas que, inclusive, ganharam causas judiciais”, destacou. A opinião é compartilhada pelo presidente do Sindicato dos Mototaxistas, Francisvaldo Nobre.

Data de publicação: 31/10/2019

Créditos das Fotos: Ismael Medeiros

Compartilhe!