A Prefeitura de Cruzeiro do Sul, através do decreto n° 186/2017, de 08 de maio de 2017, prorrogou até o dia 30 de junho o período de pagamento da cota única e da primeira parcela do IPTU, referente a 2017, que deveria ser pago até o dia 30 de maio.

Prefeitura prorroga data de pagamento da cota única do IPTU

A Prefeitura de Cruzeiro do Sul, por meio do Setor de Tributação Municipal, através do decreto n° 186/2017, de 08 de maio de 2017, prorrogou até o dia 30 de junho o período de pagamento da cota única e da primeira parcela do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), referente a 2017, que deveria ser pago até o dia 30 de maio.

A prorrogação aconteceu em razão de um atraso na impressão e entrega dos carnês. De acordo com o chefe de tributação, Érico Oliveira, os contribuintes que pagarem a parcela única recebem o benefício de até 20%.
“Se forem pagamentos da parcela única, de pessoas com débito, o desconto é de 10%, já para quem está quite e deseja pagar de uma vez esse desconto é de 20%. O principal objetivo do município é flexibilizar o pagamento da cota única e da primeira parcela, tendo em visto a demora na entrega dos carnês.”, explicou.

O IPTU pode ainda ser pago parcelado em oito vezes, sendo que as pessoas que optarem por esse meio devem pagar a 1º e 2º parcela no mês de junho juntas, para que possam sanar o débito até dezembro de 2017.
“Quem optar por pagar parcelado, vai ficar acumulado no mês de junho a primeira e a segunda parcela, haja em vista que a prefeitura não tem como fazer proporcional todas, porque a última ficaria para 2018, e precisamos fechar o recolhimento do imposto dentro do ano”, enfatizou.

O chefe de tributação explicou ainda que os recursos do imposto de renda são voltados para benefícios para população, como recuperação de vias e calçadas, iluminação pública e coleta de lixo.
“Através do pagamento do IPTU é que o município tem recursos para fazer a manutenção e reparação das vias públicas, calçadas, coleta de lixo que acontece na zona urbana e algumas áreas rurais, tudo isso é feito com esse pagamento, e sem ele é impossível continuar fornecendo esses benefícios, além da iluminação pública, que requer manutenção” finalizou.

Fonte: Assessoria

Data de publicação: 12/05/2017

Compartilhe!