A audiência pública é uma forma de unir forças contra o trabalho infantil, que tira muitas crianças da escola e da oportunidade de ser criança e ter um futuro profissional através do estudo.

A prefeitura de Cruzeiro do Sul representada pelo vice – prefeito Zequinha Lima e representantes dos municípios de Mâncio Lima, Porto Walter, Rodrigues, Marechal Thaumaturgo e da sociedade civil se uniram para debater e discutir ações pelo fortalecimento de políticas públicas eficazes e eficientes no município, com mecanismo principal na busca de erradicar o trabalho infantil, principalmente nas áreas rurais e ribeirinhas. O evento aconteceu no Auditório da Escola Estadual Dom Henrique Ruth.

De acordo com o vice – prefeito Zequinha Lima, a audiência pública é uma forma de unir forças contra o trabalho infantil, que tira muitas crianças da escola e da oportunidade de ser criança e ter um futuro profissional através do estudo.

“Estamos com os órgãos de proteção à criança e ao adolescente como Creas, CRÁS e Conselho Tutelar, prontos e preparados para atuar, nossas orientações é que todos trabalhem de forma orientadora, dialogando com a sociedade e em parceria com mistério do trabalho, mistério público do trabalho, para que possamos ter o máximo de crianças nas escolas e não no trabalho”, enfatizou o vice – prefeito.

Participaram do evento a Secretária Municipal de Assistência Social, Keiliane Cordeiro e equipe, o presidente da câmara de vereadores de Cruzeiro do Sul, Romário Tavares, além de outros secretários municipais.

A 1ª Audiência Pública Regionalizada sobre o combate ao Trabalho Infantil foi realizada pelo Ministério do Trabalho e Ministério Público do Trabalho.

Segundo o Auditor Fiscal do Trabalho, Valdemar Bandeira, em todo o estado do Acre foi identificado mais de mil casos de exploração infantil, onde os maiores índices de casos são nos municípios mais distantes onde se tem menos fiscalização, e que de acordo com os dados estatísticos 100% dos casos de trabalho infantil são de crianças de famílias de baixa renda e famílias analfabetas.

“O trabalho infantil é uma realidade nacional e cercado de mitos, e no estado do acre infelizmente não é diferente, nós precisamos oferecer a essas crianças alternativas para que elas não precisem trabalhar por isso todos os órgãos competentes com a participação da sociedade civil tem que ter absoluta prioridade de cuidar dessas crianças com dignidade, respeito, proteção e acima de tudo livres de exploração, é nesse sentido que tentamos sensibilizar e conscientizar todos os participantes, para que todos juntos possamos combater o trabalho infantil no vale do Juruá” disse Valdemar Bandeira.

Fonte: Assessoria de Comunicação

Data de publicação: 19/10/2017

Créditos: Assessoria de Comunicação

Créditos das Fotos: Ismael Medeiros

Compartilhe!