Neste ano, apesar de todas as ações de combate e prevenção que já são realizadas pela prefeitura, foram registrados os três primeiros casos de zika

Na luta pelo combate ao Aedes Aegypti, mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya, a Prefeitura de Cruzeiro do Sul, através da Secretaria Municipal de Saúde, realizou uma reunião com os líderes comunitários dos bairros da cidade, e se comprometeram a unir forças nesta batalha. Neste ano, apesar de todas as ações de combate e prevenção que já são realizadas pela prefeitura, foram registrados os três primeiros casos de zika no município, além de uma elevação nos casos de dengue.

O líder comunitário Roger Rogério, do bairro João Alves, um dos locais com maior número de casos de dengue, se comprometeu a ajudar no controle e combate ao mosquito dentro de sua localidade com a conscientização feita junto aos moradores.

“O movimento comunitário está se mobilizando e se unindo a causa que é muito séria. Nós vamos trabalhar com ações de conscientização e auxílio aos moradores que não tem condições de fazer um serviço de prevenção em suas casas”, relatou o presidente do bairro.

O secretário municipal de saúde Edir Clemente explicou que os primeiros casos de zika registrados em Cruzeiro do Sul já preocupam o poder público, por isso a necessidade da união de esforços.

“Os dados da vigilância epidemiológica  mostram que 87% a 89% dos mosquitos estão nascendo dentro das residências, ou seja, é um trabalho que estamos fazendo agora de mobilização social, trazendo os presidentes de bairro e toda população para nos ajudar. Notamos o aumento de moradores que estão acumulando água, em recipientes sem tampa. Todas as doenças são ocasionadas pelo mesmo mosquito, então nosso combate é ao Aedes. Lembramos que as pessoas tem que procurar as unidades ao sentirem os sintomas, para que possamos fazer os bloqueios”, enfatizou o secretário.

Preocupado com a elevação nos números de casos, o prefeito Ilderlei Cordeiro autorizou a contratação de novos agentes que trabalham no combate ao mosquito, mas enfatizou a necessidade de união de esforços com toda população, onde cada um pode fazer sua parte.

“Infelizmente uma notícia muito triste, com o primeiro caso de zika registrado na nossa cidade em 2018, mas não foi falta de apoio do município, não foi falta de prevenção. Desde o ano passado temos feito um trabalho importantíssimo de combate ao mosquito, mas infelizmente houve um aumento de dengue. Quando percebemos que precisava de mais apoio contratamos mais pessoas para ajudar, e não paramos. Estamos fazendo todo investimento, entregamos repelentes para as grávidas, já prevendo a situação do zika. Estou mandando um ofício para o Exercito pedindo o apoio deles também. Peço a compreensão da população, nos ajude, pois a maioria dos casos o mosquito surge dentro das residências. Essa parceria tem que ser mútua, o município está fazendo sua parte, mas precisa desse apoio da população como um todo”, finalizou o prefeito.

 

Fonte: Assessoria de Comunicação

Data de publicação: 13/02/2018

Créditos das Fotos: Ismael Medeiros

Compartilhe!