A partir do dia 20 o município já emitirá a portaria com as determinações.

A Prefeitura de Cruzeiro do Sul, através da Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte (Semtrans), está disciplinando a circulação de veículos que transportam combustível, através da combinação de veículos articulados. A decisão visa melhorar o trânsito e minimizar os impactos causados por esse tipo de veículo nas ruas na cidade.

Atualmente os caminhões como carretas rodotrens e bitrens, que realizam este transporte, utilizam até três reboques ou semirreboques, chegando a aproximadamente 77 toneladas. A partir do dia 20 de fevereiro, os veículos só poderão circular dentro da cidade, no perímetro após a Ponte sobre o Rio Juruá, com duas unidades, sendo o caminhão trator e um reboque ou semirreboque, chegando ao máximo de 45 toneladas.

De acordo com o Secretário Municipal de Trânsito e Transporte, Coronel Alves, pelo menos cinco empresas realizam o transporte de combustível em Cruzeiro do Sul. A secretaria já realizou a reunião com todos os representantes, e a partir do dia 20 o município já emitirá a portaria com as determinações.

“Levamos a proposta para as empresas que fazem esse transporte de combustível, para reduzir o tamanho do veículo e o peso no pavimento. Hoje temos até rodotrens na cidade, que chegam a dimensão de 25 a 30 metros, não tendo como fazer manobras dentro da cidade, e sendo um risco alto de uma dos reboques se desarticular nas ladeiras e provocar um risco grande”, destacou.

O secretário explicou que a medida que visa reduzir o peso dos veículos será estendida também para as carretas que circulam na cidade, após uma reunião que acontecerá com os comerciantes. Segundo Alves, a Suframa já está em busca de novas instalações, para evitar que os veículos transcorram toda cidade até chega ao porto, onde está localizado atualmente o setor.

“Vamos sentar com os comerciantes para decidir a melhor medida em relação a carretas. A informação que nos passaram é de que Manaus já autorizou a Suframa local a procurarem um local para fazer uma alocação, e assim vão sair do porto. O local era justificado quando o transporte de mercadorias era fluvial, mas hoje passou a ser de carreta. Essa mudança  é muito importante, pois evitamos que eles cruzem todo o Centro e os demais bairros para chegarem até o Porto, destruindo ruas. A finalidade disso tudo é garantir aos nossos munícipes um ir e vir com segurança”, finalizou o secretário.

Fonte: Assessoria de Comunicação

Data de publicação: 06/02/2018

Créditos das Fotos: Ismael Medeiros

Compartilhe!